Economia

Cerro dos Olivais produz 12 mil quilos de azeitonas

24/05/2012 08:44
 

Colheita deve gerar a produção de 1.800 litros de azeite (Foto:Divulgação)

No dia 7 de maio, chegou ao fim a colheita de azeitonas na “Chácara Cerro dos Olivais”, propriedade pertencente à Associação Rio-Grandense de Olivicultores (ARGOS), única entidade com reconhecimento internacional do setor.

Conforme Guajará Oliveira, foram dois meses de intenso trabalho em função da quantidade e da qualidade das azeitonas.

Ao todo foram quase 12 mil quilos, mais a aquisição de aproximadamente 2.500 quilos de azeitonas de outros produtores do município. O total da colheita em Caçapava do Sul foi de 30 mil quilos. Essa quantidade de azeitonas fará parte dos 1800 litros de azeite que estão sendo elaborados por Guajará, especialista em produção de azeite de oliva, formado pela Universidade de Jaén, Espanha.

- Não basta introduzirmos a azeitona em um lado do moinho e retirarmos o azeite do outro, como pessoas sem conhecimento podem e estão fazendo. Temos que elaborar um azeite de qualidade. É uma ciência que só os técnicos preparados podem fazer – explicou Guajará.

Os azeites
Segundo Guajará, está sendo elaborado pela primeira vez no Brasil, pela “Cerro dos Olivais”, o azeite de azeitonas picual (espanhola). Também pela primeira vez estarão sendo elaborados os primeiros três assemblages (amostras) de azeites de oliva extra-virgem: picual-koroneiki, picual-arbequina e koroneiki-arbequina. Dois azeites de arbequina, um mais frutado, verde, e outro mais maduro, ainda complementam a produção.

Esses azeites de alta gama que estão sendo produzidos se juntam ao pioneirismo dos azeites de arbequina (2008) e koroneiki-grega (2010), elaborados pela primeira vez este ano no Brasil e no município.

- Estes fatos foram amplamente divulgados pela imprensa nacional e internacional, por meio de jornais e artigos em revistas especializadas, fatos históricos que alguns espertalhões de plantão quiseram mudar, retirando de Caçapava e dando para outro município esse pioneirismo, mas não conseguiram, porque a história bem contada e comprovada não pode ser alterada – disse Guajará.

As Azeitonas
Outro destaque, conforme Guajará, é que também pela primeira vez no Brasil estão sendo elaboradas azeitonas de mesa, das variedades picual, manzanilla e cordovil de castelo branco, a moda “Mely Tejada”, que é uma forma de elaborar azeitonas de mesa utilizadas no interior de Sevilla, e que, de acordo com Guajará, são muito saborosas e acompanham qualquer prato.

- Esses são exemplos de trabalho com tenacidade e conhecimento que devem pautar o setor. Grandes investimentos estão sendo coordenados pela ARGOS, em parceria com investidores espanhóis e argentinos. O município de Caçapava, se souber aproveitar e trabalhar fazendo as parcerias certas com quem tem credibilidade e referência internacional, pode ser um dos destinos desses investimentos. Esse é um fato que pode mudar para melhor a economia da comunidade – disse Guajará. 

Gazeta de Caçapava