Estado

Assembleia Legislativa deve implantar sistema híbrido de votação

28/10/2020 10:14
 

O sistema híbrido de votação deve ser adotado pela Assembleia Legislativa a partir do fim de novembro. O modelo permite que parte dos deputados esteja no plenário durante as sessões enquanto outros parlamentares participem das votações remotamente, para evitar aglomerações. A decisão, que ainda depende de aprovação do plenário, possivelmente na sessão de 18 de novembro, foi tomada por unanimidade, na terça-feira, durante reunião da Mesa Diretora, conduzida pelo presidente Ernani Polo, do Progressistas.
A ferramenta de votação foi desenvolvida pelo Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) do parlamento gaúcho. No sistema criado especialmente para as votações, cada parlamentar também pode registrar presença e conferir a lista de projetos que serão votados na sessão. A ferramenta também permite verificação de quórum. No momento da votação, o sistema informa dados do projeto para que cada deputado escolha entre as opções “Sim” ou “Não”. Todos podem assinalar seu voto simultaneamente, e o resultado aparece no painel de controle do plenário como se fisicamente estivessem. Atualmente, o presidente precisa registrar os votos individuais questionando um parlamentar por vez. “Estamos prontos para implementar esse novo modelo, já que as questões técnicas e operacionais foram superadas”, informa Polo.
Também foi deliberada pela ampliação do número de servidores nos gabinetes parlamentares e áreas administrativas a partir de 16 de novembro, com exceção dos que integram grupos de risco para o coronavírus, que poderão continuar na modalidade de teletrabalho. Atualmente, pela regra em vigor, cada deputado pode estar na Assembleia com até mais três assessores. Os demais seguem em regime de teletrabalho. Foi prorrogada a suspensão para o acesso ao público externo até 1º de dezembro.

 

Com informações da agência de notícias da Assembleia Legislativa e Jornal O Minuano

Foto: Joel Vargas/ALRS



Topo