Educação

Laboratórios da Unipampa devem entrar em funcionamento neste semestre

Reportagem aborda a infraestrutura do campus e projetos que abrangem pesquisas científicas e o turismo na região

Por Eduardo Schneider
20/03/2019 14:29
 

Laboratórios de Química e Tratamento de Minérios (Foto: Eduardo Schneider/Farrapo)

As construções de dois prédios, que vão abrigar os laboratórios de Química e Tratamento de Minérios, no campus da Unipampa, estão concluídas. As obras iniciaram em 2011 e terminaram em 2018. A previsão é de que a utilização dos laboratórios comece neste semestre. 

Segundo a diretora da Unipampa de Caçapava do Sul, Aline Balladares, apesar das obras já terem sido entregues e os equipamentos dos laboratórios estarem à disposição, ainda falta uma licitação: “A última etapa é a licitação para contratação de pessoal terceirizado, que será designado para a limpeza e portaria desses locais”.

Além dos laboratórios, os prédios também vão abrigar gabinetes de professores, salas de aula e salas de reuniões. A ampliação vai amenizar o problema da falta de espaço físico: “Com o aumento do número de alunos e servidores, estamos cada vez mais apertados. Tem professores que não tem mesa para trabalhar. Esperamos que esta realidade mude neste ano”, ressalta Aline.

Atualmente, a Unipampa tem 64 professores, 40 técnicos administrativos, 24 funcionários terceirizados e cerca de 750 alunos. No entanto, o número de estudantes deve aumentar, já que o período de matrículas vai até o dia 21 de abril. Há vagas nos cinco cursos de graduação: Geofísica, Licenciatura em Ciências Exatas, Geologia, Tecnólogo em Mineração e Engenharia Ambiental e Sanitária.


Prioridade é concluir obra inacabada

A orientação do reitor Marco Antonio Hansen é concluir as obras que iniciaram, antes de começar a executar novos projetos de infraestrutura, como a Casa do Estudante.

Em Caçapava do Sul, o maior desafio é a retomada da obra do Prédio Acadêmico. Esta obra, que parou durante a construção das fundações, está embargada na justiça desde 2013. O motivo foi o abandono da empresa, que havia vencido a licitação. O Prédio Acadêmico abrigaria salas de aula e a biblioteca do campus.

Outra meta da instituição é construir uma Estação de Tratamento de Esgoto. Segundo a diretora, esta deve ser a próxima obra, tendo em vista que o sistema existente não está mais comportando o volume de esgoto no local.

Completa a lista, o cercamento do campus. O objetivo é reforçar a segurança do local, já que existe uma circulação de alunos, professores e funcionários, ao longo do dia e também no turno da noite.


Perspectivas e projetos

Quatro projetos da Unipampa tem ganhado destaque nos últimos meses: o Centro de Referência de Ensino de Geociências, em parceria com a Petrobras, Jardim da Geodiversidade, Geoparque e a construção de uma Litoteca no campus.

O projeto de instalação do Centro de Referência de Ensino de Geociências em Caçapava do Sul foi apresentado em outubro de 2018. A ideia é de que através de uma parceria entre a Universidade e a Petrobras, seja construído um espaço de pesquisa e ensino. Este local será equipado para a realização de análises geológicas e geofísicas, utilizando tecnologia moderna, em campo e em laboratório.

Outro projeto trata da construção da Litoteca no campus de Caçapava do Sul. Segundo Aline Balladares, as tratativas com a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) vêm ocorrendo desde o início de 2018. O objetivo é oferecer um espaço adequado para abrigar os milhares de testemunhos de minérios.

“O acordo de cooperação entre Unipampa e CPRM está em tramitação. Depois da assinatura do protocolo de intenções, as duas instituições devem procurar recursos financeiros para a construção”, explicou a diretora.

Mais avançado está o projeto da instalação do Jardim da Geodiversidade, que consiste na amostragem de rochas com painéis explicativos juntamente com a Preguiça Gigante, em frente ao campus. “Falta apenas levar algumas rochas ao local. Esta etapa será executada em parceria com a Prefeitura, que vai auxiliar no transporte das rochas”, afirmou Aline.

Quanto ao Geoparque, a ideia é construir mirantes que proporcionem a melhor visualização dos pontos turísticos, como a Pedra do Segredo e Guaritas. O Geoparque será uma área protegida e a cidade ganhará um certificado com os pontos turísticos catalogados pela Unesco.


Gestão

A primeira reunião entre diretores e reitoria da Unipampa deve ocorrer no final deste mês. Os orçamentos e repasses de verbas devem pautar o encontro.

De acordo com a diretora Aline, a perspectiva para o ano é de que os investimentos se concentrem no pagamento de despesas e contratação de pessoal terceirizado. Quanto ao repasse de verbas para bolsas de estudo, estão normalizadas no momento, apesar de ter ocorrido atrasos no início do ano.

Quanto à gestão no campus, Aline destaca o crescimento profissional obtido nos últimos anos: “Entrei na coordenação acadêmica em 2013 e fui eleita diretora do campus em 2016. É gratificante e exaustivo! Sem dúvidas, alguns colegas deveriam passar por algum cargo de chefia para ter esse tipo de experiência. A gente nem sempre agrada. Muitas vezes tomamos decisões mais duras, mas sempre pensando no campus. No final das contas, recompensa!”, disse a professora que segue na direção do campus até 2020.


Por Eduardo Schneider

Farrapo




Topo