Saúde

Causa de surto de infecção em Santa Maria ainda é investigada

15/01/2020 10:14
 

Foto: Reprodução

A investigação sobre a causa do surto de doença diarreica aguda em Santa Maria continua. O surto da doença em dezembro de 2019, causou a morte de duas crianças.

Conforme nota técnica das secretarias de Saúde do Estado e do município de Santa Maria, resultados laboratoriais apontaram a presença de duas bactérias: Campylobacter jejuni e Escherichia coli O157. As duas bactérias costumam causar gastroenterite.

De acordo com um levantamento feito até a última sexta-feira, 487 pessoas foram expostas à infecção, com 41 casos confirmados e seis internações. Duas crianças, de 5 e 4 anos, morreram.


Sintomas

A Campylobacter em humanos pode manifestar-se de várias formas, sendo a gastroenterite a mais comum. Os sintomas são diarreia (profusa, aquosa e em alguns casos com sangue), vômito, náusea, dores abdominais e febre. Como complicações da doença, são citadas: endocardite, artrite séptica, meningite e Síndrome de Guillain-Barré. O período de incubação varia normalmente de dois a cinco dias.

Os casos de infecção são usualmente esporádicos, ocorrendo nos meses de verão e no início do outono, causados pela ingestão de alimentos cozidos e manipulados inapropriadamente, com maior incidência relacionada ao consumo de frangos.

A E. coli O157 tem como sintomas gastroenterite, colite hemorrágica e Síndrome Hemolítica Urêmica. Costumam aparecer em média até quatro dias após a ingestão de alimentos ou água contaminados. Cerca de 12% a 30% das pessoas infectadas podem evoluir para insuficiência renal e comprometimento sistêmico. A transmissão ocorre por via fecal oral e através do ambiente, alimentos, solo e água contaminados.


Medidas de controle

A prevenção de novos casos segue as medidas gerais de prevenção de doenças de transmissão hídrica e alimentar:

- Lavar bem as mãos com sabonete/sabão antes do preparo dos alimentos, sempre que interromper a atividade de preparo, e após;
- Lavar bem as mãos após uso do banheiro e troca de fraldas;
- Lavar frequentemente as mãos das crianças com sabonete/sabão, sobretudo após o uso do banheiro;
- Manter os alimentos refrigerados, abaixo de 5°C, ou aquecidos acima de 70°C;
- Consumir somente água potável/tratada;
- Consumir alimentos crus como vegetais folhosos, frutas e legumes, somente após a lavagem mecânica retirando todas as sujidades, seguida do uso de solução clorada;
- Consumir alimentos de origem animal (carnes, ovos, leite, mel etc.) somente com registro no órgão sanitário competente;
- Não consumir leite e seus derivados crus, não pasteurizados;
- Utilizar utensílios (tábuas, talheres e recipientes) diferentes para produtos crus e cozidos;
- Não ingerir carnes cruas ou mal cozidas (abaixo de 70°C);
- Manipuladores que apresentarem sintomas gastrointestinais não devem manusear alimentos.

Clique aqui e confira a nota técnica conjunta da Secretaria da Saúde (SES) do Estado e da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Santa Maria.

Farrapo




Topo