Economia

Pedidos de seguro-desemprego sobem 27,5% no primeiro semestre de 2020 no RS

11/07/2020 10:29
 

A Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) e o Sistema Nacional de Emprego (Sine) registraram um aumento de 27,5% no número de pedidos de seguro-desemprego no primeiro semestre de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado, no Rio Grande do Sul.

Nos primeiros seis meses de 2019, foram solicitados 197.405 benefícios. Já entre janeiro e junho deste ano o número de solicitações subiu para 251.727. A principal razão, segundo Rogério Grade, diretor-presidente da FGTAS, é a pandemia de coronavírus.

"A grande maioria das empresas desligou os trabalhadores e tivemos um acréscimo muito grande. Cerca de 54 mil [encaminhamentos] a mais", observa.

Embora nos três primeiros meses a variação tenha sido ligeiramente estável, nos meses seguintes houve um crescimento na quantidade de pedidos de seguro-desemprego. Em maio, foram 76,4% a mais do que o mesmo mês do ano anterior, um recorde, de acordo com o diretor, desde que o levantamento começou a ser feito, em 2013.

Outra mudança foi no modo de requisitar o benefício. A troca da carteira de trabalho em papel para a versão digital, além das regras de distanciamento social, obrigou os beneficiários a procurarem o auxílio pela internet.

Porém, a transformação não é apenas tecnológica, de acordo com Grade, mas cultural, e muitas pessoas tiveram dificuldade em regularizar seus pedidos no auge do isolamento, em abril e maio.

"Muitos não estavam conseguindo encaminhar, com problemas no RH da empresa ou em seu nome. Quando reabrimos, houve uma grande procura", afirma.

O FGTAS/Sine tem 153 agências físicas no estado. No entanto, a recomendação é que, quem precisar ir presencialmente a uma delas, deve agendar o atendimento previamente.

 

 

 

Com informações G1RS